Pontos de Vista

Pontos de Vista

Projeto

Projeto Pontos de Vista (Impressora Braile)

Responsável 

Prof. John Kleba (IEFH-ITA/C-Lab)

Equipe

Victor Gonçalves Siqueira (MEC-19 e líder do projeto)/Carlos Madureira Novak (AER-19)/Eduardo London (COMP-19)/Matheus Feitosa (MEC-19),/Matheus Santoro Pitanga. (2º Fund)

Área

Multidisciplinar

Investimento Aprovado

R$ 13.900,00 + R$ 10.000,00

Prazo

1º e 2º Semestre

Número de Alunos Impactados

5

Objetivo

Confecção de impressoras braile de baixo custo sendo dois protótipos não comerciais, um para ser desenvolvido no h8 e outro para ministrar as aulas na Alpha Lumen e um protótipo comercial. (O Projeto da impressora braile faz parte das iniciativas da Enactus-ITA e C-Lab-ITA e conta com o suporte do Sítio do Astronauta e Inst. Alpha Lumen.)

Descrição

Segundo a Sociedade Brasileira de Oftalmologia o Brasil conta atualmente com 1,1 milhão de cegos e cerca de 4 milhões de deficientes visuais. O braile é fundamental para quem tem a deficiência visual, mesmo após o surgimento de diversas tecnologias de mídia que dão acessibilidade ao deficiente, o braile é fonte de independência e autonomia para a pessoa cega, pois é a forma mais simples de comunicação não oral e, por isso, pode estar acessível sempre, mesmo quando a tecnologia falha. O sistema braile é usado na alfabetização de crianças cegas e é instrumento de acesso ao conhecimento, cultura e inclusive laser, é de indispensável importância para o aprendizado da ortografia e da simbologia científica. Entretanto, o acesso à materiais impressos em braile é difícil e frequentemente os materiais são produzidos por encomenda, o que eleva os custos. Já existem impressoras braile no mercado e o principal empecilho é o alto custo: entre 25 e 40 mil reais. A nossa proposta é resolver essa problemática com o desenvolvimento de uma impressora braile de baixo custo, montando um protótipo que funcione e a partir dele gerando um modelo comercial, um produto de fácil acesso. A ideia zero partiu do grupo de alunos da T15, o primeiro modelo e o mais simples, o objetivo era apenas fazer imprimir, sem levar em conta qualquer comodidade. Esse modelo serviu para mostrar que a ideia era sim possível, mas precisava evoluir. Hoje, um time de alunos da Enactus-ITA tem o objetivo de desenvolver um novo modelo que supere os desafios do atual. Nosso objetivo agora é montar um protótipo que faça a impressão em 3D respeitando o padrão de impressão. Queremos desenvolver um modelo que já seja capaz de receber uma pilha de papel e implementar o método de deposição de silicone já testado por médicos da Unicamp, a fim de tornar a recarga de polímero mais barata e acessível.

Benefícios

Os alunos responsáveis terão de pesquisar, estudar, reprogramar, buscar aprender com os professores, com colegas e ex-alunos já formados e usar toda criatividade possível para fazer as adaptações necessárias dos modelos de impressoras 3D. Além disso, há disponíveis cursos de manufatura de impressoras 3D em que os quatro alunos responsáveis podem se inscrever a fim de gerar o resultado profissional esperado.