Projeto apoiado pela ITAEx propõe novas metodologias no ensino de engenharia

Compartilhe

O projeto “Engenharia para o Ambiente e Sustentabilidade: uma abordagem multidisciplinar”, apoiado pela ITAEx, está gerando relevantes resultados para sua área de atuação. Sob a responsabilidade da professora Neusa Maria Franco Oliveira, a iniciativa envolve atualmente 63 alunos e tem como um de seus objetivos o monitoramento remoto de características ambientais, a ser executado em tempo real e durante um período de tempo pré-estabelecido.

Para isso, o projeto busca aprimorar a infraestrutura material, por meio da aquisição de sensores e componentes eletrônicos diversos, e a infraestrutura acadêmica, com o aperfeiçoamento do material didático já utilizado em 2016. Ao final da proposta, alunos dos cursos de Engenharia Eletrônica e Engenharia da Computação idealizam um projeto multidisciplinar voltado ao meio ambiente e à sustentabilidade. O principal resultado esperado é a maior interação entre alunos do Fundamental e do Profissional.

Iniciada no 1º semestre de 2017, a experiência segue em andamento até o final do ano. De acordo com a professora Neusa, algumas alterações já foram feitas a partir dos retornos obtidos pelos alunos. “Consideramos que melhoramos bastante em criação e infraestrutura em relação ao ano passado. A experiência está sendo muito boa!”, conta. A professora ressalta ainda que o principal destaque do 1º semestre foi o planejamento das atividades, que foi feito de forma coordenada entre as disciplinas.

Dentre as conquistas do projeto está a produção de um artigo que será submetido ao ICERI 2017 (International Conference on Education, Research and Innovation), que acontecerá em Sevilha, Espanha, de 16 a 18 de novembro. O artigo leva o título “Novas Metodologias no Ensino de Engenharia: Abordagem Multidisciplinar”. “Tenho muita expectativa em ouvir os comentários de profissionais que eventualmente já tiveram esse tipo de experiência ou tenham questões que visam implementar algo parecido em suas instituições”, disse a professora.

Saiba mais sobre o projeto.

Compartilhe