Descrição de Projetos do 1º Semestre 2017

Projetos em andamento

Os seguintes projetos foram aprovados para receber apoio no primeiro semestre de 2017.

Introdução ao Controle Moderno no COURSERA
  • Projeto: Introdução ao Controle Moderno no COURSERA
  • Responsável: Jackson Paul Matsuura
  • Área: Eletrônica
  • Investimento Aprovado: R$ 5.500,00
  • Prazo: 2º Semestre de 2016 transferido para 1º Semestre de 2017
  • Número de Alunos Impactados: 60
  • Objetivo: Este projeto trata da preparação do 4o. Curso sobre Controle de Sistemas Lineares na plataforma Coursera (MOOC – Massive Open Online Course com a qual o ITA tem parceria). O conteúdo desse curso corresponde a 50% da teoria do 1o. Bimestre da Disciplina EES-20 – Sistemas de Controle II, disciplina essa obrigatória para os Cursos de Engenharia Eletrônica e Engenharia de Computação do ITA. O conteúdo faz parte ainda de disciplinas de outros cursos do ITA, mas o curso no Coursera será preparado visando seu uso otimizado na disciplina EES-20.
  • Descrição: No primeiro semestre de 2016 foram preparados 3 Cursos sobre controle de sistemas na plataforma Cousera. Esses 3 Cursos foram usandos como 50% das aulas teóricas da disciplina EES-10 – Sistemas de Controle I, ministrada para o 3o. Ano (1o. PROF.) dos Cursos de Engenharia Eletrônica e de Engenharia de Computação do ITA. O primeiro Curso, Introdução ao Controle de Sistemas foi preparado apenas pelo Prof. Jackson, usando equipamentos do Prof. Clovis (ponto focal da parceria ITA-Coursera). Para a preparação desse curso o Prof. Jackson trabalhou de 70 a 80 horas/semana (as 40 horas “normais” e mais 30 a 40 horas/semana). O segundo e o terceiro Cursos contaram com a ajuda de dois alunos do ITA, contratados com bolsas pagas com recursos da Iniciativa ITA-Ex-T61. No entanto o rendimento dos alunos foi menor que o tempo e trabalho despendido com eles. Ou seja, no final os professores Jackson e Rubens acabaram trabalhando mais com os alunos do que teriam trabalhado sem eles. O apoio da ITA-Ex-T61 no entanto foi fundamental para a decisão de preparar esses cursos. Sem tal apoio os professores teriam desistido de preparar os cursos a tempo de serem usados na disciplina EES-10 no 1o. Semestre de 2016.
  • Benefícios: Cada aluno pode estudar o conteúdo básico das disciplinas no seu próprio ritmo, podendo assistir as aulas no Coursera com o dobro da velocidade (2x) ou 25% mais devagar (0.75x). Os alunos com maior dificuldade podem assistir os vídeos quantas vezes quiserem e podem ainda tirar dúvidas online ou pessoalmente em particular com o professor, não precisando se sentir constrangidos perante aos colegas por terem dúvidas mais básicas ou por “atrasarem” as aulas. O nível das aulas tanto online quanto presenciais deve aumentar. Como as aulas no Coursera estarão disponíveis para qualquer pessoa ver e rever quantas vezes quiser, inclusive para outros docentes, deve haver uma maior preocupação e um maior “capricho” na preparação dessas aulas.
Apoio ao desenvolvimento de atividades "hand on" na disciplina de Introdução à Engenharia
  • Projeto: Apoio ao desenvolvimento de atividades “hand on” na disciplina de Introdução à Engenharia
  • Responsável: Anderson V. Borille
  • Área: Fundamental
  • Investimento Aprovado: R$ 4.500,00
  • Prazo: 1º Semestre
  • Número de Alunos Impactados: 120
  • Objetivo: Desenvolver a continuação de reformulação da disciplina MTP-02 – Introdução à Engenharia, de modo a proporcionar aos alunos do 2º ano do Fundamental com uma maior carga de atividades hands on, por meio do desenvolvimento de projetos.
  • Descrição: A disciplina MTP-02 é planejada para que os alunos sejam recompensados por fazer, e não na punidos por errar como por exemplo, a emissão de certificados de Menção Honrosa (slide 27) para os 5 melhores projetos. Além disso outros princípios em desenvolvimento são aplicados: Busca por balanço entre Liberdade e Controle; Divisão de aulas(encontros) em Teoria e Aplicação vinculada a uma entrega; Atividades práticas em sala para a discussão da teoria; Notas cumulativas por entrega (70% da pontuação possível é dada por critério Objetivo); Compartilhamento de responsabilidade com a equipe (definição do líder e suas atribuições); Compartilhamento com FIS34 e FIS36 (mais tempo e recursos para execução dos projetos); Acompanhamento da evolução do projeto (valendo nota). Assim, o cronograma da disciplina é diferenciado, considerando o empenho dos alunos na definição de notas aos grupos. O histórico recente da disciplina, mostra que as alterações introduzidas aumentaram o rendimento dos alunos. Porém ainda há a necessidade de avaliação do desempenho em relação à assimilação de conteúdo. Esse histórico foi apresentado na Oficina de Formação de Docentes, de 08/12/16, onde oportunidades de melhorias foram identificadas, e experiências trocadas com outros docentes do ITA. Uma das dificuldades da disciplina reside no fato de que hoje é ministrada por somente 1 docente, e o apoio de uma equipe maior irá, certamente, melhorar o nível de aprendizado dos alunos. Ressalta-se que os alunos já contam com apoio da iniciativa ITAEx, pois podem compartilhar o projeto com outras disciplinas, como por exemplo as que possuem suporte, FIS 32 e FIS 36
  • Benefícios: As alterações na forma de apresentação dos conteúdos e desenvolvimento das atividades sendo implementadas desde 2014 surtiram efeito, dadas as melhores notas na avaliação em 2014 do que em 2013; Surgiram novas reclamações para justificar a desmotivação com a disciplina (ex.: desinteresse do grupo e outras disciplinas) A adoção do modelo aulas – que mescla exercícios práticos em sala de aula, e a respectiva teoria, aliado a um projeto semestral, com entregas bem definidas – tem se demonstrado com motivador para os alunos. Ainda faltam ações necessárias, que decorrem da grande quantidade de alunos e da pequena estrutura de Dificuldades nas turmas 2015 e 2016, pois eram aprox. 180 e não mais aprox. 120. Ainda há a necessidade de avaliação de assimilação de conteúdo
Instrumentação Biomédica-EEA-91
  • Projeto: Instrumentação Biomédica-EEA-91
  • Responsável: Alvaro Ferreira
  • Equipe: Profª. Wagner Chiepa – Chefe da DEE / Prof. Brig. José Elias Matieli – Chefe do LabBIOENG
  • Área: Eletrônica
  • Investimento Aprovado: R$ 28.000,00
  • Prazo: 1º e 2ºSemestre
  • Número de Alunos Impactados:
  • Objetivo: Introdução de técnicas e de métodos de trabalho no desenvolvimento de projetos de Dispositivos para Monitoração Clínica (P1), Dispositivos Terapêuticos e de Avaliação (P2) e Engenharia Reversa e Simuladores de Biopotenciais (sub-projeto) como parte do curso experimental de Engenharia Biomédica.
  • Descrição: A presente proposta tem pedagogicamente, como intuito, poder dar continuidade às atividades no semestre anterior (QUI-18 – Subprojeto Processamento de Sinais Biológicos), porém agora no âmbito, mais amplo, do Projeto de Engenharia como método, em instrumentação biomédica e claro, cobrindo os temas propostos aos alunos. Por outro lado, e do ponto de vista prático, a presente proposta pretende possibilitar obtenção de meios para a aquisição rápida de materiais para a execução de quatro dos dez temas abaixo elencados e, também para a implementação do subprojeto indicado, como abertura. (Tabelas detalhadas na proposta) O Subprojeto Engenharia Reversa e Simuladores de Biopotenciais tem como objetivo a introdução de técnicas e de métodos do trabalho no desenvolvimento de projetos. A partir do material a ser adquirido, e do já disponível pelo acervo da QUI28, o estudante desenvolverá exercícios de construção e de análise de protótipos didáticos de instrumentos biomédicos. Em paralelo serão desenvolvidas as especificações para os temas dos dois projetos P1 e P2. P1- Dispositivos para Monitoração Clínica (1.ECG – HOLTER, 2. Frequencímetro Cardíaco, 3.Medidas Respiratórias,4.Oxímetro (SpO2), 5.Pressão Arterial (BCG, PPG, ECG) – MAPA). P2 – Dispositivos Terapêuticos e de Avaliação (6. Analisador Portátil de Sangue, 7.Analisador Portátil Bioquímico, 8.Bomba Portátil de Insulina, 9.Detector de Movimento e Quedas, 10.Analisador Clínico de Estado Geral (Wearable)).
  • Benefícios: Suporte a Novas Metodologias de Ensino e Pesquisa, o nascente LabBIOENG deverá promover a formação de recursos humanos para este setor estratégico no País, porém agora recorrendo (investindo) ao próprio seio do corpo de alunos do ITA, o que significa aproximar-se, em outra escala (tecnológica), ao uso de métodos educacionais análogos aos que permitiram o desenvolvimento histórico do ITA, como instituição educacional de primeira grandeza.

Clique aqui e baixe o material

Colóquios do Fundamental & Ciclo de Palestras - 2017
  • Projeto: Colóquios do Fundamental & Ciclo de Palestras – 2017
  • Responsável: João Francisco Mazariolli – Seção de Orientação Educacional
  • Área: Humanidades
  • Investimento Aprovado: R$ 3.335,00 + 3.335,00
  • Prazo: 1º e 2º Semestre
  • Número de Alunos Impactados: 110
  • Objetivo: Os “Colóquios do FUND” abordam questões abrangentes sobre questões da Escola.
  • Descrição: Os “Colóquios do FUND” pretendem abordar questões sobre a Escola (por exemplo: Ensino, Pesquisa e Extensão; Normas Reguladoras da Graduação); bem como a escolha do professor-conselheiro; o treinamento em recursos disponibilizados pela Divisão de Informação e Documentação; apresentação e discussões sobre os conteúdos oferecidos pela Divisão de Ciências Fundamentais; apresentação e discussões sobre as seis modalidades de Engenharias oferecidas pelo Instituto. Outros temas, propostos e construídos em sala de aula, podem ser abordados. E são exatamente nesses temas que necessitamos de recursos financeiros para viabilizar a participação de convidados. São atividades direcionadas a alunos ingressantes, semanais, realizadas no primeiro semestre do primeiro ano da graduação. O “Ciclo de Palestras”, de caráter mais abrangente, é dirigido a todo o público discente (do primeiro ao quinto ano da graduação) e docente. Aborda temas relevantes na educação superior e nas vivências acadêmicas, como, por exemplo: saúde; sono e aprendizado; autorregulação da aprendizagem; automedicação; nutrição; vulnerabilidade social e vida acadêmica, dentre outras. Os Colóquios do FUND já estão incorporados ao calendário acadêmico desde 2009 e Ciclo de Palestras “Saúde e Educação”, em 2016, teve sua terceira edição, está última com apoio da ITAEx.
  • Benefícios: O apoio, pela ITAEx, a este projeto é um benefício que viabiliza sua continuidade e possibilita a participação de convidados externos inclusive de outras regiões trazendo uma visão que alinhe nossa formação com outros saberes biopsicossociais.

Clique aqui e baixe o material

Laboratórios de QUI-18 e QUI-28: Desenvolvimento de Projetos Continuados de Cunho Tecnológico
  • Projeto: Laboratórios de QUI-18 e QUI-28: Desenvolvimento de Projetos Continuados de Cunho Tecnológico
  • Responsável: Koshun Iha
  • Área: Fundamental
  • Investimento Aprovado: R$ 15.000,00 + R$ 15.000,00
  • Prazo: 1º e 2º Semestre
  • Número de Alunos Impactados: 120
  • Objetivo: Com o intuito de possibilitar que o conceito de desenvolvimento de projetos seja mantido como atividade para a graduação, independentemente da contratação de profissionais ou do apoio financeiro externo, propõe-se a contratação de serviço de consultoria de profissional experiente e engajado nestes projetos, para trabalhar na internalização destas atividades no Departamento de Química.
  • Descrição: As atividades que têm sido desenvolvidas no laboratório de química da graduação vêm promovendo inovação no ensino laboratorial, mediante projetos continuados de caráter tecnológico, os quais têm vínculo com as iniciativas do H8 e favorecem o desenvolvimento científico dos alunos através de atividades hands on e visitas técnicas a outros laboratórios do ITA e do DCTA, com possibilidade de uso do parque instrumental destes. A configuração mais adequada para o desenvolvimento dos projetos mostra-se uma mescla do que já foi praticado anteriormente, levando-se em consideração o tempo disponível para o desenvolvimento adequado dos projetos e a fixação dos conteúdos apresentados. Desta QUI-28: Desenvolvimento de Projetos Continuados de Cunho Tecnológico forma, neste ano a proposta é trabalhar o conceito de projeto ao longo do ano todo, preparando tecnicamente e intelectualmente os alunos durante o primeiro bimestre (QUI-18) para, então, possibilitar o desenvolvimento consciente dos projetos a partir do segundo bimestre (QUI-18) e avançando pelo semestre seguinte (QUI-28). Esta consultoria torna-se importante neste momento visto que há previsão de transferência de professores para este Departamento, de modo que a instrução e adaptação dos novos professores é necessária para que este tipo de atividade possa ser perenizado no Departamento e alcance com sucesso os objetivos traçados.
  • Benefícios: Perenizar a capacidade de desenvolver projetos que estimulem o aprendizado de química no Fundamental.
Laboratório de FPGA_3
  • Projeto: Laboratório de FPGA_3
  • Responsável: Osamu Saotome
  • Área: Eletrônica
  • Investimento Aprovado: R$ 3.921.9 +15.200,00 + R$ 6.800,00
  • Prazo: 1º Semestre
  • Número de Alunos Impactados:
  • Objetivo: Prover acesso on-line integral e prover cursos que abranjam desde os conhecimentos básicos de eletrônica até os FPGAs, sempre mantendo a teoria e o experimento prático estreitamente acoplados.
  • Descrição: A presente proposta se destina a completar as atividades necessárias para a execução das atividades laboratoriais curriculares de circuitos digitais, ao mesmo tempo abrindo espaço para a realização de projetos de pesquisa acadêmicos e industriais inerentes aos ramos aeronáutico e espacial. A parte básica do Laboratório de FPGA foi completada, graças ao auxílio do ITAEX-61 (1S16). O segundo projeto teve a finalidade de complementar o Laboratório de FPGA, com um Servidor de Acesso Remoto e Placas de Desenvolvimento de FPGA, convertido para acesso remoto, tornando possível o desenvolvimento de trabalhos de graduação e trabalhos de pós-graduação, tanto no laboratório como no H8, pelos alunos (2S16). Nesse terceiro projeto, propõe-se concluir a implantação para acesso remoto e iniciar a montagem de um curso on-line que abranja desde os conhecimentos básicos de eletrônica até os FPGAs.
  • Benefícios: 1) Motivação dos alunos (e pesquisadores) para a área de circuitos digitais e FPGA. É sabido que laboratórios de circuitos digitais são eficazes no aprendizado e motivação dos alunos pela visualização dos resultados do seu trabalho intelectual na teoria; 2) Possibilidade para os professores da área orientarem trabalhos de interesse de pesquisa, tanto acadêmica como industrial. 3) Compreensão e vivência da disciplina. Para pesquisa, a existência de um laboratório adequado acelera muito o processo de investigação. 4) O Laboratório On-Line, ou seja, o acesso via Servidor de acesso remoto possibilita o uso compartilhado de placas de desenvolvimento de alto custo ( existem placas recentes, que permitem realizar projetos de alto desempenho, cujo custo é de 15 mil dólares) . Os usuários autorizados poderão acessar tanto no Laboratório como em outro local (por exemplo, o H8) aumentando a disponibilidade e portanto a produtividade.
Desenvolvimento de projetos baseados nas plataformas Arduino ou Raspberry
  • Projeto: P04 – Desenvolvimento de projetos baseados nas plataformas Arduino ou Raspberry
  • Responsável: José Silvério Edmundo Germano
  • Área: Fundamental FIS26 e FIS 32
  • Investimento Aprovado: R$ 20.000,00
  • Prazo: 1º Semestre
  • Número de Alunos Impactados: 150
  • Objetivo: Apresentar aos alunos do 2º ano fundamental do ITA o grande potencial da plataforma de prototipagem eletrônica de código aberto Arduino, que está cada vez mais sendo utilizada nos mais variados tipos de projeto em várias áreas do conhecimento dentro da engenharia.
  • Descrição: Com a ajuda dos recursos e dispositivos adquiridos, o professor terá condições de preparar um material para suas aulas que explore cada vez mais o potencial dos seus alunos e que os conceitos estudados sejam trabalhados de maneira mais significativa, na perspectiva de uma engenharia de base tecnológica com fundamento científico na Física. O trabalho com as tecnologias digitais pode tornar o processo de ensino e aprendizagem ainda mais atrativo, tanto para os alunos como para os professores. Possibilita a interdisciplinaridade dentro do curso de Engenharia, contribuindo para aumentar o entusiasmo pela aprendizagem.
  • Benefícios: As atividades relacionadas com os experimentos tradicionais de física dos laboratórios LABFIS26 e LABFIS32 que forem baseados na plataforma de prototipagem eletrônica de código aberto Arduino serão avaliadas através de apresentação oral dos projetos de cada grupos e relatórios detalhados dos experimentos. Com relação ao projeto semestral baseado na plataforma de prototipagem eletrônica de código aberto Arduino, os mesmos serão apresentados numa feira aberta ao público no final do 1º semestre de 2016. Nessa feira, todos os professores das disciplinas de FIS26 e FIS32 irão avaliar os projetos e as notas relativas a essa avaliação irão valer 50% dos exames dessas 2 disciplinas. Outro ponto importante é avaliação do melhor projeto que será feita por professores e técnicos do departamento de física do ITA.
Desenvolvimento da categoria Futebol de Robôs Small Size League
  • Projeto: Desenvolvimento da categoria Futebol de Robôs Small Size League
  • Responsável: Marcos Ricardo Omena de Albuquerque Máximo
  • Área: Computação (Multidisciplinar)
  • Investimento Aprovado: R$ 17.888,00
  • Prazo: 1º Semestre
  • Número de Alunos Impactados:
  • Objetivo: Desenvolver e construir robôs que possuam a capacidade de observar regras de decisão autônoma – Categoria Small Size.
  • Descrição: O robô Small Size, faz parte de um time de robôs que jogam futebol em um campo contra outro time robótico. Cada robô de um time com 6 jogadores recebe os comandos via radiofrequência do computador central, responsável pelas jogadas. Esse computador é alimentado com a imagem vinda de uma câmera instalada acima do campo. A câmera envia as imagens para os computadores das duas equipes competidoras em tempo real. Essas imagens são processadas por um sistema de visão computacional fornecido pela RoboCup (competição mundial de robótica)

Após concluído o desenvolvimento dos robôs Small Size, o time será usado para competir no campeonato nacional e latino americano (CBR/LARC) e na RoboCup, competição internacional. O time será constantemente aperfeiçoado e tem como meta conquistar a primeira colocação na RoboCup. O time Small Size trará, também, maior visibilidade à equipe ITAndroids, tanto no meio acadêmico, quanto frente a potenciais patrocinadores, visto que a categoria é mais avançada e atrai grande atenção nas competições citadas.

(A complexidade foi explanada no projeto VSS)

  • Benefícios: (Já explanado no projeto VSS)
Criação de vídeos explicativos como forma de avaliação do laboratório de física experimental do ITA
  • Projeto: P05 – Criação de vídeos explicativos como forma de avaliação do laboratório de física experimental do ITA
  • Responsável: José Silvério Edmundo Germano
  • Área: Fundamental
  • Investimento Aprovado: R$ 5.100,00
  • Prazo: 1º Semestre
  • Número de Alunos Impactados: 150
  • Objetivo: Este projeto tem como objetivo implementar uma nova métrica na avaliação do curso de física experimental a partir de construção de vídeos explicativos. Os vídeos explicativos serão produzidos pelos alunos através de recursos disponíveis no próprio laboratório.
  • Descrição: Implantar uma nova métrica no laboratório de ensino de física-mecânica (FIS26) com ferramentas que ajude o aprendizado da física e, ao mesmo tempo, o familiarize com o ambiente integrado de desenvolvimento de projetos em grupo, tornando-o protagonista da sua aprendizagem. Esse projeto complementará as habilidades computacionais dos alunos apresentando uma nova função: Edição de imagens, Captura de imagem e vídeo, Edição de vídeo. Como resultados, espera-se que, com a ajuda desses equipamentos e dos projetos, os alunos tenham uma aprendizagem significativa dos conteúdos explorados em laboratório. Do ponto de vista dos professores, espera-se que esta métrica facilite a avaliação dos alunos em diferentes perspectivas.
  • Benefícios: Novas métricas de Avaliação, Desenvolvimento de habilidades complementares, compreensão dos fenômenos estudados em laboratório, hands on, Integração com outras disciplinas; aumento do entusiasmo de professores e alunos etc..
Infraestrutura eletromecânica para a equipe ITAndroids VSS
  • Projeto: Infraestrutura eletromecânica para a equipe ITAndroids VSS
  • Responsável: Marcos Ricardo Omena de Albuquerque Máximo
  • Área: Computação (Multidisciplinar)
  • Investimento Aprovado: R$ 7.797,61
  • Prazo: 1º e 2º Semestre
  • Número de Alunos Impactados: 10
  • Objetivo: Desenvolver e construir robôs que possuam a capacidade de observar regras de decisão autônoma – Categoria VSS.
  • Descrição: O VSS é um projeto de robótica que consiste na construção de três robôs em formato de cubo que jogam futebol de forma autônoma e que visa a participação e campeonatos nacionais e internacionais. O primeiro passo para os alunos que se debruçam sobre este desafio é montar os robôs, o que exige os estudos em mecânica e eletrônica. O bom desenvolvimento dessa etapa do projeto garante ao robô robustez, bom funcionamento e desempenho. Após serem projetados e efetivamente montados, há a preocupação com a autonomia dos robôs. Para que haja autonomia do sistema, há uma câmera que filma a partida. A partir dos dados da filmadora, há um processamento de dados utilizando a visão computacional implementada pelos alunos para que se possa identificar a posição dos jogadores e da bola em campo. Deve-se, então, programar para que os “jogadores” saibam qual estratégia adotar e qual movimento cada um deve realizar. Essa etapa pode ser implementada utilizando uma máquina de estados (como já é feito) ou então uma inteligência artificial (como pretende-se fazer). Além disso, é necessário o uso de Controle, para que o robô faça sua trajetória com precisão.
  • Benefícios: Prover treinamento em estruturas complexas (Mecânica, Eletrônica, Computação, Controle, Processamento de Sinais e Inteligência Artificial), Aprendizado prático de desenvolvimento de projetos. Cultura de colaboração entre os membros, de modo que membros mais novos sintam-se à vontade em requisitar mentoria de veteranos. Portanto, a participação em uma atividade como a ITAndroids representa um importante complemento à formação teórica provida pelo curso de Engenharia.
ITA Baja
  • Projeto: Projeto ITA Baja
  • Responsável: Aluno Rodolfo Rodrigues
  • Área: Projeto dos Alunos (Vários anos)
  • Investimento Solicitado: R$ 10.000
  • Prazo: 1º Semestre
  • Número de Alunos Impactados: 10
  • Objetivo: Desenvolvimento de um jipe tipo Baja para competição utilizando conhecimento adquirido nos cursos de graduação.
  • Descrição: O projeto Baja é um projeto tradicional de construção de veículo todo terreno a partir do zero. O orçamento total do projeto é de R$ 44.422,00.
  • Benefícios: Contato direto com grandes empresas de engenharia. Se for Bajeiro, pode contratar” (Presidente da SAE em palestra). Oportunidades de estágio em institutos de pesquisa no exterior. Existem 8 engenheiros brasileiros na Formula 1 e 5 são ex bajeiros.
Apoio a Execução do Laboratório "HANDS-ON" da Disciplina de Teoria de Controle (MVO-20)
  • Projeto: Apoio a Execução do Laboratório “HANDS-ON” da Disciplina de Teoria de Controle (MVO-20)
  • Responsável: Prof. Guilherme Soares e Silva – soaresgss@ita.br
  • Área: Aeronáutica
  • Investimento Aprovado: R$ 15.257,00
  • Prazo: 1º e 2º Semestre
  • Número de Alunos Impactados: 46
  • Objetivo: Desenvolver uma alternativa didática mais eficiente, que proporcione a aproximação dos alunos dos conceitos de concepção, construção, implementação e testes de sistemas de controle, no aprendizado e uso do MATLABTM propondo uma mudança no experimento e no formato do laboratório de MVO-20.
  • Descrição: Da análise do curso deMVO-20 no ano de 2016, que apresentou um laboratório semelhante ao que é exposto aqui, é possível destacar duas principais dificuldades que não permitiram que todos os objetivos apresentados fossem cumpridos: (1) Falta de recursos para que os grupos pudessem efetivamente realizar o projeto do pêndulo. Por este motivo esta etapa não pode ser cumprida, o curso foi feito com um pêndulo demonstrativo; (2) Grupos muitos grandes que faziam com que as tarefas fossem excessivamente diluídas não permitiam acompanhamento efetivo pelos alunos dos problemas propostos.
  • Benefícios: Pretende-se, com o apoio da ITAEx, que essas duas dificuldades expostas sejam sanadas com a separação do laboratório em duas fases. Na primeira fase será feita uma discussão a respeito do projeto conceitual e de requisitos, bem como as limitações do sistema propulsivo, isto é feito de maneira aberta com participação de professor e alunos. A partir da determinação e construção do projeto definitivo o laboratório passa a ser realizado com um grupo de dois alunos, extensível para três por necessidade numérica.
Engenharia para o Ambiente e Sustentabilidade: Uma abordagem Multidisciplinar
  • Projeto: Engenharia para o Ambiente e Sustentabilidade: Uma abordagem Multidisciplinar
  • Responsável: Neusa Maria Franco Oliveira
  • Equipe de professores: Wilson Caral (HID-65, 1o. bimestre)/Tertuliano Ribeiro Pinto (HID-65, 2o. bimestre)/Ligia Maria Soto Urbina (MOE-42, Princípios de Economia)/John Bernhard Kleba (orientador de projetos sociais no Ciclo Fundamental)
  • Área: Eletrônica e Computação
  • Investimento Aprovado: R$ 15.100,00
  • Prazo: 1º e 2º Semestre
  • Número de Alunos Impactados: 63
  • Objetivo: Monitoramento remoto de, no mínimo, duas características ambientais a ser executado em tempo real e durante um período de tempo pré-estabelecido como parte do projeto da disciplina HID65.
  • Descrição: Este projeto visa a continuação do projeto iniciado em 2016, prosseguindo o desenvolvimento de infraestrutura material, com a aquisição de sensores e componentes eletrônicos diversos, e acadêmica, com o aperfeiçoamento do material didático usado em 2016 e o aperfeiçoamento e ampliação da interação entre atores multidisciplinares. Ao final do projeto proposto, alunos dos Cursos de Eng. Eletrônica e de Eng. de Computação desenvolvem um projeto multidisciplinar voltado ao meio ambiente e sustentabilidade. Nesta segunda edição, será proposto o monitoramento remoto de, no mínimo, duas características ambientais a ser executado em tempo real e durante um período de tempo pré-estabelecido. Assim, os sensores devem ser instalados na localização que se quer monitorar, os dados devem ser transmitidos via wireless para uma “estação de monitoramento”. Caso seja perdido o contato entre a estação e os sensores, ou se os dados apontarem para alguma falha do sistema, o sistema deve ser “imediatamente” restaurado. O desenvolvimento do projeto deve ser efetuado em equipes mistas (Eng. de Eletrônica e de Computação) de quatro alunos. Deve ser apresentado um pré-projeto, com a solução que irão desenvolver e a estimativa orçamentária para o desenvolvimento (custo do material a ser utilizado, horas de trabalho previstos em cada etapa e divisão das tarefas entre os membros da equipe). Ao final do bimestre, um protótipo deve ser apresentado e o relatório do desenvolvimento do projeto e dados colhidos devem ser apresentados.
  • Benefícios: Um dos resultados almejados é novo, que é a interação entre alunos do ciclo profissional e do ciclo fundamental. Esta interação será fomentada através da premiação de até dois tutores, cursando HID-65, que auxiliarem os alunos do Ciclo Fundamental no desenvolvimento de projetos sociais. Em lugar da proposta de bolsa de monitoria, a premiação ocorrerá caso a banca de “financiadores” avalie que o protótipo apresentado foi bem desenvolvido e tem qualidade técnica suficiente para ser levado ao mercado. Os demais resultados são a continuação da proposta Multidisciplinar apresentada em 2016.
Empreendedorismo e Inovação
  • Projeto: Empreendedorismo e Inovação
  • Responsável: Sueli S. D. Custódio
  • Área: Humanidades
  • Investimento Aprovado: R$ 14.250,00
  • Prazo: 1º Semestre
  • Número de Alunos Impactados: 100
  • Objetivo:
  • Descrição: O projeto este semestre está dividido em três etapas: i) Fase I – Como empreender? Esta etapa apresentará alguns tipos de empreendedores e de empreendimentos com a finalidade de mostrar como o processo evolutivo e inovador das capacidades, habilidades e atitudes profissionais podem alavancar os resultados na oferta de produtos/e ou serviços para os consumidores do mercado em geral; ii) Fase II – Qual é o problema? Esta fase visa mostrar ao estudante que para elaborar um plano de negócio bem sucedido as perguntas são mais importantes do que as respostas, uma vez que depende do trabalho de programação estratégica; iii) Fase III – Como eu posso inovar? Esta etapa se estrutura a partir de reuniões de Trabalho envolvendo especialistas e estudantes de Graduação. A realização de um seminário auxiliará na formatação de propostas de parcerias com a iniciativa privada em acordo com o novo Marco Legal vigente. A ideia é estruturar projetos-pilotos, criando, assim, cases bem sucedidos que podem facilitar a replicabilidade de outras iniciativas inovadoras da Comunidade Iteana.

i)Realização de quatro a seis oficinas de modelagem e adequação de projetos de membros da comunidade Iteana, auxiliando nas etapas de formulação de um Projeto de Financiamento à luz do novo Marco Legal de Ciência, Tecnologia e Inovação;

ii)Realização de um seminário, no mês de maio, com especialistas na agenda de Inovação Tecnológica, aliando essas experiências a casos práticos;

iii)Elaboração de um material didático que servirá de Guia para os alunos de graduação;

  • Benefícios: O projeto sistematiza os procedimentos necessários para a interação entre o ITA a iniciativa privada (com a elaboração de um Guia) e estimula a criação de novas iniciativas (a partir de oficinas e de um seminário) está preparando a comunidade Iteana para sintonizá-la com o futuro da ciência, tecnologia e inovação no país, com o empreendedorismo dos seus estudantes e com a manutenção do papel de destaque que o ITA tem no cenário nacional. Além disso, interações sinérgicas com a iniciativa privada podem fomentar a pesquisa científica, auxiliar a formação dos alunos e contribuir com a modernização da infraestrutura e dos equipamentos do Instituto.
Formula ITA: Concepção e Fabricação de um Veículo estilo Fórmula
  • Projeto: Formula ITA – Concepção e Fabricação de um Veículo estilo Fórmula
  • Responsável: Aluna Érika Rizzo Aquino
  • Área: Projeto dos Alunos
  • Investimento Aprovado: R$ 15.000,00
  • Prazo: 1º semestre para aquisição
  • Número de Alunos Impactados: 15
  • Objetivo:
  • Descrição: Fundada em meados de 2015, a Equipe Formula ITA é uma iniciativa recente, que busca, no atual contexto econômico do país, construir o seu primeiro protótipo. Durante o ano de 2016, os integrantes, maioria recém-ingressos no ITA, adquiriram fundamentos em cultura automotiva a partir de conhecimentos repassados por integrantes veteranos, que participaram ativamente na iniciativa ITA Baja nos anos anteriores. Em seguida, os membros foram divididos em subsistemas, a fim de projetar áreas específicas do carro. A prioridade de gastos, concentra-se nos itens de bancada, que não podem ser fabricados, constituem um gasto inicial necessário para o primeiro protótipo e tem vida útil duradoura, reutilizando-os em futuros projetos. Pretende-se priorizar freios, um conjunto de pneus para pista seca e rodas (equivalente a 4 de cada), pelo menos 4 amortecedores e a ECU (Engine Control Unit – tradução: Unidade de Controle do Motor). Tais peças permitem que o carro possa ser montado e, enfim, testado em pista, o que proporcionaria um novo patamar de conhecimento para os integrantes. Ademais, tal compra possibilitaria um tempo extra para obter recursos a fim de adquirir um conjunto de pneus de chuva, um conjunto sobressalente de pneus para pista seca e amortecedores reserva, necessários para uma eventual competição. Caso algum dos componentes destacados seja obtido por patrocínio, pretende-se redirecionar a verba para outro componente necessário.
  • Benefícios: Os benefícios da iniciativa para o desenvolvimento técnico e pessoal dos alunos é nítido nesta fase do projeto. Tecnicamente, há o conhecimento em engenharia automotiva em geral (motores, suspensões, aerodinâmica automotiva, injeção eletrônica…) e na manipulação de ferramentas de engenharia (projeto computacional, incluindo desenho e modelamento, CFD, simulação por elementos finitos…). Pessoalmente, o trabalho envolve muita cooperação e disciplina. Para a faculdade, o projeto representa a criação de tecnologia em uma área nova, o ambiente automotivo.
Criação e Desenvolvimento de Portal para o Projeto de Formação Docente
  • Projeto: Criação e Desenvolvimento de Portal para o Projeto de Formação Docente
  • Responsável: Denise Stefanoni Combinato
  • Área: Especial
  • Investimento Aprovado: R$ 20.000,00 – 1S+ R$ 8.400,00 incluindo manutenção-2S
  • Prazo: 1º Semestre
  • Número de Alunos Impactados: 750
  • Objetivo: Desenvolver um site repositório e de apoio ao desenvolvimento do corpo docente do ITA.
  • Descrição: A partir de diagnóstico institucional de Psicologia Escolar realizado no ITA em 2010, identificou-se a necessidade de aperfeiçoamento da prática didático-pedagógica, tendo em vista a qualidade no processo ensino-aprendizagem. Acompanhando uma tendência nacional, identificou-se que no ITA, em geral, os professores universitários não têm uma formação didático-pedagógica, seja pela graduação em cursos de bacharelado (e não licenciatura), seja pela ênfase dada à formação em pesquisa (e não em ensino) nos programas de pós-graduação (mestrado e doutorado). Todo material que subsidia o desenvolvimento das oficinas e que é produzido ou veiculado nas oficinas (vídeos, relatórios, artigos sobre estratégias de ensino, etc.) deve estar disponível para a comunidade interna acessar, quando necessário, em um site do Projeto de Formação Docente.
  • Benefícios: O site será um elemento documentador e de referência do projeto, ou seja, a comunidade interna poderá acessar, por exemplo, o repositório de arquivos e o banco de projetos, onde poderão encontrar relatos documentados das experiências de ensino, incluindo vantagens e desvantagens observadas e/ou pesquisadas no contexto do ITA, tendo em vista sua apropriação e/ou seu aperfeiçoamento, a partir de novos estudos e pesquisas.
Projeto Solaris - Engenharia aplicada a soluções energéticas sustentáveis
  • Projeto: Projeto Solaris – Engenharia aplicada a soluções energéticas sustentáveis que geram impacto social escalável em comunidades e escolas de baixa renda
  • Responsável: Prof. John Kleba (IEFH-ITA/C-Lab)
  • Equipe: Aluno líder responsável pelo projeto: Jasson Fernandez Gurgel/Responsabilidade organizacional e de prestação de contas: Presidente Enactus-ITA: Matheus Santoro Pitanga
  • Área: Humanidades
  • Investimento Aprovado: R$ 40.891,20
  • Prazo: 1º e 2º Semestre
  • Número de Alunos Impactados: 7
  • Objetivo: Através de aquecedores solares (de água) e painéis fotovoltaicos os objetivos são: (1) reduzir sensivelmente o gasto de comunidades carentes com energia elétrica ou gás e (2) gerar independência e apropriação tecnológica para a comunidade, blindando-a de eventuais crises energéticas no país e aumentos repentinos no preço da eletricidade. (O Projeto Solaris faz parte das iniciativas da Enactus-ITA e C-Lab-ITA e conta com o suporte do Sítio do Astronauta e Instituto Alpha Lumen.)
  • Descrição: A partir da qualificação adquirida com o processo de confecção, os moradores são estimulados a se tornarem os próprios técnicos responsáveis pela manutenção dos aparelhos. Nessa acepção, objetiva-se que membros da comunidade-alvo assumam o papel de disseminadores das tecnologias em questão para demais comunidades, gerando por sua vez um novo ciclo. Trata-se de um desafio duplo: de como ensinar a fazer – num processo de co-criação com os locais – e de como se dá o processo de aprendizagem. Além da construção do sistema e da capacitação dos moradores locais, o projeto inclui ainda um terceiro desafio: a metodologia de aprendizado para alunos na fase escolar. Para tanto, conta-se com a parceria do Sítio do Astronauta e do Instituto Alpha Lumen (IAL). Uma vez capacitados, os alunos irão junto ao time construir um sistema para alimentar a sua escola, um sistema a ser utilizado no escritório da Enactus ITA localizado no H8 e na comunidade Beira Rio. Além disso, haverá capacitação de alunos de escolas públicas e dos moradores da Beira Rio na tecnologia, criando um sistema de disseminação da tecnologia em parceria com o IAL e com o Sítio do Astronauta.
  • Benefícios: Engajar os estudantes do ITA a se envolverem em pesquisa e desenvolvimentos de inovações que resolvam problemas atuais no que se refere a otimização de sistemas fotovoltaicos. Para tanto, serão propostos inicialmente três desafios, podendo ser aproveitados nas disciplinas de FIS, MTP, Projetos Sociais e nas demais disciplinas que envolvem projetos: (1) Novos materiais para células fotovoltaicas, (2) Rastreador do sol, (3) Controlador de Carga MPPT (Considera toda a energia do painel).
Projeto Pontos de Vista (Impressora Braile)
  • Projeto: Projeto Pontos de Vista (Impressora Braile)
  • Responsável: Prof. John Kleba (IEFH-ITA/C-Lab)
  • Equipe: Victor Gonçalves Siqueira (MEC-19 e líder do projeto)/Carlos Madureira Novak (AER-19)/Eduardo London (COMP-19)/Matheus Feitosa (MEC-19),/Matheus Santoro Pitanga. (2º Fund)
  • Área: Multidisciplinar
  • Investimento Aprovado: R$ 13.900,00 + R$ 10.000,00
  • Prazo: 1º e 2º Semestre
  • Número de Alunos Impactados: 5
  • Objetivo: Confecção de impressoras braile de baixo custo sendo dois protótipos não comerciais, um para ser desenvolvido no h8 e outro para ministrar as aulas na Alpha Lumen e um protótipo comercial. (O Projeto da impressora braile faz parte das iniciativas da Enactus-ITA e C-Lab-ITA e conta com o suporte do Sítio do Astronauta e Inst. Alpha Lumen.)
  • Descrição: Segundo a Sociedade Brasileira de Oftalmologia o Brasil conta atualmente com 1,1 milhão de cegos e cerca de 4 milhões de deficientes visuais. O braile é fundamental para quem tem a deficiência visual, mesmo após o surgimento de diversas tecnologias de mídia que dão acessibilidade ao deficiente, o braile é fonte de independência e autonomia para a pessoa cega, pois é a forma mais simples de comunicação não oral e, por isso, pode estar acessível sempre, mesmo quando a tecnologia falha. O sistema braile é usado na alfabetização de crianças cegas e é instrumento de acesso ao conhecimento, cultura e inclusive laser, é de indispensável importância para o aprendizado da ortografia e da simbologia científica. Entretanto, o acesso à materiais impressos em braile é difícil e frequentemente os materiais são produzidos por encomenda, o que eleva os custos. Já existem impressoras braile no mercado e o principal empecilho é o alto custo: entre 25 e 40 mil reais. A nossa proposta é resolver essa problemática com o desenvolvimento de uma impressora braile de baixo custo, montando um protótipo que funcione e a partir dele gerando um modelo comercial, um produto de fácil acesso. A ideia zero partiu do grupo de alunos da T15, o primeiro modelo e o mais simples, o objetivo era apenas fazer imprimir, sem levar em conta qualquer comodidade. Esse modelo serviu para mostrar que a ideia era sim possível, mas precisava evoluir. Hoje, um time de alunos da Enactus-ITA tem o objetivo de desenvolver um novo modelo que supere os desafios do atual. Nosso objetivo agora é montar um protótipo que faça a impressão em 3D respeitando o padrão de impressão. Queremos desenvolver um modelo que já seja capaz de receber uma pilha de papel e implementar o método de deposição de silicone já testado por médicos da Unicamp, a fim de tornar a recarga de polímero mais barata e acessível.
  • Benefícios: Os alunos responsáveis terão de pesquisar, estudar, reprogramar, buscar aprender com os professores, com colegas e ex-alunos já formados e usar toda criatividade possível para fazer as adaptações necessárias dos modelos de impressoras 3D. Além disso, há disponíveis cursos de manufatura de impressoras 3D em que os quatro alunos responsáveis podem se inscrever a fim de gerar o resultado profissional esperado.
Desenvolvimento de Esportes para os alunos do ITA (Atlética)
  • Projeto: Desenvolvimento de Esportes para os alunos do ITA (Atlética)
  • Responsável: Aluno Marcel Assunção Lobo
  • Área: Projeto dos Alunos
  • Investimento Solicitado: R$ 14.000,00 + R$ 13.200,00
  • Investimento Aprovado:
  • Prazo: 1º e 2º semestre
  • Número de Alunos Impactados: 100
  • Objetivo: Melhorar a qualidade de vida dos Iteanos e além de trazer conquistas para nossa universidade, promover integração com outras universidades, por meio de esportes e eventos.
  • Descrição: É através dos esportes que o ITA consegue a maior integração com outras universidades. Tradicionalmente, a AAAITA participa de vários torneios esportivos, como o InterEng (Jogos integrados de Engenharia), que acontece todos os anos no segundo semestre, e conta com a participação de grandes universidades. Essa competição é uma grande chance de mostrar o potencial esportivo da nossa universidade, conquistando mais troféus para entrarem para nossa história na sala da AAAITA, e ainda promovendo a integração dos alunos com as outras universidades, saindo da “bolha” em que o ITA se encontra. Conhecer pessoas novas, com uma visão e vivência é uma das melhores formas de crescimento intelectual e profissional que uma pessoa pode encontrar. Também almejamos a conquista de troféus em competições menores, como o InterBixos, copa de futsal que conta com a participação do ITA, Unesp e Unifesp, o Campeonato Paulista Universitário de Xadrez, o qual o ITA foi campeão por equipes no ano de 2016. Em 2017, pretendemos aumentar a participação Iteana nos campeonatos: com a abertura da equipe de atletismo no ano de 2017, já participaremos do TAI – Torneio de Atletismo do Interior, em que participam cerca de 20 faculdades do interior paulista. Além disso, temos a integração dentro da nossa universidade, misturando alunos e ex-alunos na tradicional Olimpíada Interna (OI), que acontece todos os anos no primeiro semestre. Ocorrem também todo ano as copas Firio-Yoshi, Gunther e Interturmas, pequenos campeonatos internos de futsal.
  • Benefícios: A importância do esporte vai muito além da evolução física do aluno. É comprovado que a prática esportiva confere ao aluno melhor desempenho escolar, melhoria no sono, humor, disciplina, motivação, trabalho em equipe e muitos outros. O equilíbrio mente e corpo conferem ao aluno uma grande melhoria em sua qualidade de vida.
Projeto Dançando no ITA
  • Projeto: Projeto Dançando no ITA
  • Responsável: Escola de Dança Val Garcia Apoio Prof. Cristiane Lacaz
  • Área: Humanidades
  • Investimento Aprovado: R$ 16.500,00
  • Prazo: 1º Semestre
  • Número de Alunos Impactados: 80 (Alunos, professores, funcionários)
  • Objetivo: Desenvolver espaços que estimulem a capacidade criativa, a partir de momentos lúdicos, prazerosos, de socialização e completamente diferente da rotina pesada de estudos.
  • Descrição: Os encontros de dança serão estruturados em algumas etapas: (1) Apresentação e integração grupo: o propósito deste momento é integrar o grupo num ambiente descontraído e, ao mesmo tempo, sensível e de envolvimento. (2) Descrever as características e estilos de cada dança: aprendizado e ensaio de coreografias, a partir de vários estilos de dança, com ênfase em dança de salão. Rocha e Almeida (2007) constataram que a dança de salão tem um grande potencial educativo, já que o seu próprio aprendizado leva a utilização do movimento para expressar ideias, sentimentos, emoções, pensamentos, ou ainda, princípios filosóficos, sociais ou políticos. Mais ainda: em decorrência de sua essência integradora dos domínios humanos é capaz de levar a pessoa descobrir e/ ou redescobrir sua corporeidade e sensibilidade. (3) Ao final de cada encontro, um momento será dedicado à reflexão e ao registro sobre danças e trocas culturais e ressignificação do corpo. Como atividade de conclusão do projeto, serão realizadas apresentações, de acordo com o calendário escolar, preferencialmente, em algum evento da instituição.
  • Benefícios: Contrapor a carga de estudos a momentos mais lúdicos.
Uma Experiência Prática de Mecânica de Vôo: MVO-66
  • Projeto: P03 – Uma Experiência de Mecânica de Voo (MVO-66)
  • Responsável: Guilherme Soares e Silva – soaresgss@ita.br
  • Área: Aeronáutica
  • Investimento Aprovado: R$ 26.625,00
  • Prazo: 1º e 2º Semestre
  • Número de Alunos Impactados: 31
  • Objetivo: A disciplina deMVO-66 tem por objetivo principal melhorar o ensino de engenharia aeronáutica na graduação através de atividades práticas que permitirão que o futuro engenheiro aumente a capacidade de julgamento diante de verificação de fundamentos de mecânica de voo em experimentos reais e não simulados.
  • Descrição: Apresentar de forma mais efetiva e sistêmica o conceito do projeto de cada área da engenharia aeronáutica (estruturas, aerodinâmica, mecânica de voo e sistemas) tem com a atividade fim: o voo. De maneira específica, pretende-se que a disciplina, junto aos alunos, atinja os objetivos: (1) Facilite a compreensão dos modelos matemáticos e a física envolvida as quais são tratadas nas disciplinas de desempenho de aeronaves (MVO-31) e de dinâmica e controle de aeronaves (MVO-41); (2) Aumente a capacidade de julgamento do comportamento de aeronaves através da realização de ensaios em configurações diversas; (3) Crie motivação para a o que é aprendido em sala de aula; (4) Permita que o aluno estabeleça por si próprio a interdisciplinaridade entre as matérias; (5) Fomente habilidades interdisciplinares como liderança e relacionamento interpessoal durante a organização nos preparativos logísticos para as campanhas de ensaio; (6) Desenvolva de maneira geral a capacidade de prever riscos, mitigá-los e especificamente desenvolva a doutrina de segurança de voo com a mitigação de riscos de ensaios; (7) Capacidade de desenvolvimento de habilidade sistêmicas através da verificação de requisitos durante os ensaios em solo e em voo.
  • Benefícios: Colocar o aluno em contato direto com o a atividade aérea esperando atingir os objetivos citados acima. Dentre os quais podemos destacar o aumento da capacidade de julgamento como Engenheiro Aeronáutico, motivação para o estudo das disciplinas do curso profissional motivado pela interdisciplinaridade promovida pela matéria, desenvolvimento de habilidades interpessoais e compreensão sistêmica do desenvolvimento de um produto aeronáutico. De maneira indireta a infraestrutura gerada com o curso de MVO-66 poderá ainda beneficiar os alunos da competição SAE Aerodesign e os alunos que realizam TG que exijam construção e ensaio de pequenas aeronaves.