Primeiras Impressões e agradecimentos do EEF 2019

Prezados amigos,

Bom dia.

Escrevo nesse dia de domingo, um dia após o evento EEF2019. Ainda estou tonto com tudo que houve e, portanto, conto com a compreensão de todos para um texto bastante desorganizado. Mas não tenho como conter minha alegria em relação ao que aconteceu.

Sei que Musa já me pediu, por várias vezes, que não faça referência à sua contribuição aos rumos da ITAEx. Mas, nesse momento, simplesmente não dá.

Sinto um imenso orgulho de ser parte de uma turma do ITA, a T61, que tem em seu quadro um estrategista do porte do Musa. Pois foi ele que há dois anos propôs a realização de uma série de eventos, da qual o EEF foi o primeiro, para ajudar o ITA a ter excelência também no futuro. E não apenas propôs como muitos o fazem; ele se comprometeu profundamente com eles.

Compartilho aqui um daqueles momentos que fazem a vida valer ser vivida.

A convite da Professora Iris, figura excepcional dessa nova turma de professores que foi contratada pelo ITA em 2018, Musa aceitou ser um dos juízes do Grand Prix no qual seis equipes compostas cada uma por sete alunos de diferentes escolas competiam durante 24 horas contínuas para dar a melhor resposta a um desafio relacionado a conforto e proteção de pessoas idosas.

A premiação dos vencedores devia ser às 10h horas da manhã de sábado. Às 10h30 ainda estávamos todos à espera do resultado. Quando, finalmente, às 10h40 juízes e concorrentes apareceram no local da premiação eu vi que Iris não cabia em si de alegria e entusiasmo. E ela então me contou que o atraso tinha sido causado por uma discussão que ela simplesmente não conseguiu interromper, entre Musa e o Brig Matieli, conforme ela, ambos à beira de se estapearem, para decidir de que turma seria o primeiro lugar. E, para ela, esse momento era inesquecível como foi, também para mim, ser testemunha do entusiasmo de Iris e de Musa.

A sequência de palestras trouxe uma enxurrada de ideias a serem discutidas. Lembro algumas:

O ensino tem que passar de “TEACHER CENTERED” para “STUDENT CENTERED”;

O ponto anterior exige um nível absurdo de tutoria já que não existem dois alunos com forma igual de aprendizado;

Por isso tem que ser desenvolvida a carreira de Professor Universitário em oposição a colocar como professor alguém que se formou em Engenharia, depois fez Doutorado, mas não foi formado para educar;

O que leva à necessidade de se criar em cada Universidade o Centro de Excelência em Educação;

A Tutoria também não pode ser levada de forma amadora baseada apenas em amizade pessoal; Terá de se apoiar em uma grande quantidade de dados que reflitam a formação anterior do aluno, suas facilidades e suas dificuldades atuais.

E por aí vai. O que escrevi até aqui é um pálido resumo do que aconteceu no Fórum. Tem muito mais. As palestras foram todas filmadas não sei se com a qualidade de umRashomon de Kurosawa ou algo parecendo as Bruxas de Blair. Tão logo estejam disponíveis farei uma nova comunicação esperando que todos se interessem por elas e ajudem com análises e comentários.

Não sei como continuar essa mensagem e, muito menos, como terminá-la. Simplesmente não tenho a mínima capacidade para relatar tudo o que se passou. E vou terminar não mencionando algo ou alguém, certamente causando mágoas. Peço desculpas antecipadas por isso. Mas em nome dos coordenadores agradeço imensamente a todos:

O Prof. Carlos Henrique, Vice-reitor do ITA, como “chairman”, comandou o evento de forma notável em conjunto com o Pró-Reitor de ADM Cel. Av. Alexandre Salviatto;  o Prof. Adade que organizou o Fórum com um conjunto de palestras de alto nível; a Professora Sueli, alguém verdadeiramente ímpar, secundada pela Professora Elizabete, a despeito de todas as suas atividades no ITA, se encarregou completamente pela Mostra de 40 estandes que fizeram o ITA e o DCTA se conhecerem a si mesmos e não só isso, desde o início foi uma das mais ativas construtoras de todo o evento; a Professora Iris, já mencionada acima, o Prof. Samuel e Prof. Mônica, arrebatadores na maratona do Grand Prix, em conjunto com o Lab de Bioengenharia, ESPM e Humanitas, os Profs. Yu e Adade em conjunto com a Dassault Systems, no alto  nível do 3D Experience; o jovem Prof. Filipe e a Professora Ana Carolina que criaram uma competição notável envolvendo o tratamento de “Big Data”.

Enfim, esse evento mostrou que está na hora de todo mundo abandonar sua zona de conforto e se dispor a participar. Basta uma pequena fagulha para os professores do ITA se entusiasmarem. Temos uma obra imensa a realizar.

Não sei como agradecer à Ten Raquel que desde o início trabalhou conosco quase que diariamente, se encarregou de uma maneira absolutamente profissional da parte de divulgação do evento, resolveu todas as questões relacionadas a cerimonial e cuidou de um assunto bem complexo e delicado, o relacionamento com toda a Imprensa.

E não temos mais a desculpa de “falta de apoio”. Foi verdadeiramente marcante a forma como o Ten Brig Aguiar, DG do DCTA, apoiou e se envolveu com o evento além da participação ativa de todas as entidades através do Brig Demétrio IAE, Cel Lester do IEAv e do Cel La Sagra.

Aqui também me cabe agradecer de coração, ao Reitor, nosso colega Claudio Jorge, por abrir as portas da nossa escola.

Finalizando, concordo com Musa que Rossi, Seffrin e Takeya realizaram um trabalho excepcional.

Um grande abraço,

Alfred Volkmer

Vice-Presidente – T61

Em tempo: Devido a uma tempestiva intervenção do nosso colega Rômulo, durante o evento, foram assinados dois Protocolos de Intenção do INPI, do qual é presidente o irmão de Rômulo, Dr. Claudio Vilar Furtado, o primeiro com a FAPESP e o segundo com o ITA. A esses protocolos seguirão acordos que tornarão o acesso a registro de patentes, registro de marcas, etc. muito mais acessíveis à comunidade Deceteana.

Clique aqui e veja algumas fotos do EEF 2019.

COMPARTILHE

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn